Blog Seupersonaltrainer.com.br Site Seupersonaltrainer.com.br

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

O fraco entendimento das calorias para manutenção do peso


Tradução Renata Souza, revisão Anderson Brandão

Especialistas em Obesidade estão preocupados com a alfabetização calórica.

As pessoas normalmente não sabem quantas calorias elas estão comendo, quanto elas precisam ou quanto elas queimam, dizem os especialistas, que propõe maior destaque da quantidade de calorias nos rótulos.

O ‘Canadian Obesity Network’, um grupo de especialistas em obesidade, mostraram as pessoas algumas comidas e pediram que eles tentassem adivinhar a quantidade de calorias que os itens contêm.

Muitos canadenses foram abaixo do esperado, disse Dr. Arya Sharma, que organizou a pesquisa.

“Quando mostramos as pessoas o rótulo das comidas e pedimos que calculassem quantas calorias eles estariam comendo se consumissem uma colher de sopa, poucos canadenses conseguiram calcular o número”.

Sharma esta preocupado com as consequências da alfabetização calórica considerando que 2/3 dos canadenses estão acima do peso e ¼ dos adultos são clinicamente obesos, de acordo com as estatísticas.

“As calorias são as moedas da manutenção do peso”, disse Sharma. “Se você não sabe quantas calorias esta comendo, você não o que o seu corpo faz com as calorias, você não sabe para onde as calorias vão. Isso é como tentar gerenciar sua conta no banco sem saber a quantidade de dinheiro você ganha ou quanto que cada coisa custa”.

ADIVINHAR CALORIAS

As mulheres necessitam em média de 2.000 calorias por dia enquanto os homens precisam de uma média de 2.400 calorias, disse Sharma.

Na Universidade de Waterloo, David Hammond descobriu que as pessoas consumem 11% a menos de calorias quando a informação nutricional esta disponível nos menus dos restaurantes comparando com um grupo controle, uma diferença de cerca de 100 calorias. Um estudo anterior nos EUA teve o mesmo resultado.

Hammod concorda que a maioria das pessoas não sabe a recomendação diária de calorias, mas eles conseguem comparar os itens, como 210 calorias de um ‘muffin’ pequeno contra 240 calorias de um ‘muffin’ grande.

Tendo esse relativo senso de calorias quando for fazer escolhas ajuda a escolher melhor, ele diz.

Outra opção é usar um padrão de luz como os sinais de trânsito, com calorias em verde, amarelo e vermelho. Os alimentos pré-embalados no Reino Unido usam esse padrão.

“É muito difícil se não impossível adivinhar quantas calorias tem uma refeição, mesmo nutricionistas treinados não conseguem”, disse Hammond. “A melhor forma de obter a informação é através do menu quando estiver escolhendo o que comer”.

Os consumidores acham que a salada no fast food tem menos calorias que um sanduiche mas isso nem sempre é assim, ele disse.

Muitos restaurantes voluntariamente fornecem a informação nutricional mas eles as colocam em locais difíceis para os consumidores acharem, em seus web site e em posters longe dos caixas, afirmou Bill Jeffrey.

Nos EUA uma norma federal vai começar a requisitar as calorias nos menus dos restaurantes de grandes redes.

No Canadá, medidas voluntárias estão em vigor há vários anos, mas Jefrrey as chama de ineficazes.

Sharam está preocupado que as pessoas se tornem obsessivas em contar calorias, o que ele quer na verdade é que elas tenham uma ideia de quantas calorias existem nas comidas quando forem decidir o que comer.

Fonte: CBC News

Nenhum comentário:

Facebook SeuPersonal Twitter SeuPersonal RSS SeuPersonal Mundo Corrida